O Raio Verde

Alguma vez você já observou o pôr-do-sol sobre o mar? Já o observou até que a aba superior de seu disco, tocando de leve a superfície da água, estivesse prestes a desaparecer? Muito provavelmente sim, mas você já notou o fenômeno que ocorre no preciso instante em que o corpo celestial irradia seu último raio, e que, quando o céu está limpo, é de uma pureza inigualável?”

Julio Verne é considerado por muito críticos o precursor do gênero Ficção Científica e foi com conhecimento de causa que coloquei ele na lista do Desafio Literário , já li alguns livros dele que me encantaram demais, por isso minhas expectativas para a leitura de O Raio Verde eram altas.

O livro conta a história de Helena, uma moça rica e extremamente mimada pelos tios que após ler um artigo no jornal, decide sair pelo mundo em busca da visão do Raio Verde, cuja lenda diz que quem o enxergar terá certeza quando encontrar seu verdadeiro amor.

Acostumada com leituras de Ficção Científica focadas na aventura e na ação estranhei um pouco o tom desta narrativa que a princípio se mostrou cansativa e enfadonha, focada apenas nos caprichos de Helena, que em nenhum momento causou empatia, na verdade achei-a detestável, cheia de vontade e caprichos. Achei a história muito superficial e sem o aprofundamento técnico tão comum ao gênero e até mesmo à obra do Verne, tudo gira em torno das aventuras que a moça e seus tios passam para ver o tal Raio Verde, que nada mais é que o último raio que o sol emite sobre o mar quando está se pondo, mas as tais aventuras não empolgam, para mim o único alento na leitura foi a figura peculiar de Aristobulo Ursiclos que é uma personagem irritantemente hilariante, enfim foi uma leitura rápida e que não acrescentou nada, fiquei com a sensação de Verne não usou nem uma parte infinitesimal da sua mente brilhante para escrever este livro.

VERNE, Júlio. O Raio Verde. São Paulo: Melhoramentos, 1982.

Esta leitura é a segunda para o Desafio Literário 2011 cujo tema do mês de abril é a leitura de obras de Ficção Científica.

Confira no blog do Desafio as resenhas dos outros participantes.

16 thoughts on “O Raio Verde

  1. Este é um dos meus preferidos de Verne, e justamente pela “mudança de ares”. Estava acostumado aos seus livros de aventura, então a calma de O Raio Verde me surpreendeu – no começo não positivamente, mas o livro melhora bastante lá pela metade. E Helena, para mim, também foi um personagem difícil de engolir, rs. Bela dica, para quem é fã do mestre, é um título imperdível.

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Olá Luciano!
    Que bom que tu gostastes do livro, acredito que detestar Helena seja um denominador comum aos leitores desta obra, não ouvi ninguém dizer que tenha gostado dele 🙂
    Obrigada pela visita.
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  2. Olá Mi, Julio Verne é um mestre! Ainda não li este livro, mas sei que é um dos clássicos da literatura universal.Adorei sua escolha, beijos

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Oi Monica, realmente Verne é sempre uma boa pedida, mesmo quando o livro não é exatamente o que esperávamos hehehehe…
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  3. Acho que foi Manoel Bandeira que disse que escrever bem era cortar palavras. Um compositor desses super conhecidos (não me lembro mais qual) fazia uma música por dia e depois jogava fora as que não prestavam.
    É Mi, às vezes os escritores também deveriam ver suas obras com olhar crítico. Parece que Verne não jogou nada fora. A coletânea de sua obra é imensa…
    Beijos.

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Mom é mesmo impressionante a extensão da obra dele, mas dos livros que li esse foi o único que não me agradou, acho que neste caso faltou mesmo um olhar crítico, mas veja bem o Luciano gostou do livro, até porque ele é um livro diferente para cada leitor 🙂
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  4. Mi, peninha que não alcançou suas expectativas. MAs mesmo assim, deu curiosidade.

    Bjus
    Vevé

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Que bom Vevé que ainda assim ficou curiosa, outras pessoas curtiram a leitura e é claro que minha experiência com ela não esgota as possibilidades de outros leitores!
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  5. Oxe, que pena, nunca li Verne, ia ser duro começar com um que me decepcionasse assim.

    Respondi teu comment.

    Beijo

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Ainda bem que não comecei por este livro a minha experiência com Verne, senão ela estava fadada ao fracasso hehehehe…
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  6. Hummm sua resenha me deixou assim, como poderia dizer….. Sem vontade de ler rsss. Não gosto de livros com personagens chatos, ficção científica pra mim já é algo que não agrada muito, então para que eu consiga ler precisa de personagens fortes naqueles que consigo sentir que rola uma química rsss.

    Beijocas

    Vivi
    Filmes, livros & séries
    http://www.filmeslivroseseries.com

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Ah Vivi então esse não é pra ti não, eu amo Ficção Científica e esse livro passa longe dos clássicos do gênero… adoro teus comentários sempre sinceros e construtivos 😉
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

  7. Comecei a ler o teu post interessada (adoro Júlio Verne desde criança) e fui murchando. Acho que não vou ler não…. rsrsrs Beijão!

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

    mimuller Reply:

    Denise também adoro Verne desde criança e foi mesmo uma surpresa esta decepção, mas ela não chegou a ser grande para que eu desista de ler outras obras dele 🙂
    estrelinhas coloridas…

      (Quote)  (Reply)

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.